5 de maio de 2010

Histeria macarthista

Em recente visita ao Brasil, o jornalista Carl Bernstein quase sempre é lembrado como o co-autor de Todos os Homens do Presidente, deixando de lado outros tantos bons livros que escreveu. Um destes - sem dúvida o mais biográfico - é Loyalties (Lealdades), em que lembra sua infância e a vida com os pais, militantes de esquerda durante o macarthismo.

Publicado em 1990, depois de uma vida de reflexões e de cinco anos de trabalho duro, Loyalties traz a confissão de Bernstein de que ainda eram muitas as feridas abertas pela histeria anticomunista. Tão grande que Bernstein precisou convencer os pais que um livro como aquele já poderia ser escrito passadas três décadas desde o final das caças às bruxas. Se os adultos eram perseguidos, os filhos sofriam as consequências. Em Loyalties, Bernstein relatou o que foi ter sido um "red diaper baby" (bebê de fralda vermelha), expressão criada para os filhos das vítimas do macarthismo e como, durante anos, foi assombrado por um fantasma que parece estar em todos os cantos.

(Márcio Pinheiro)

Nenhum comentário: